Fechar [X]

Notícias

Home » Notícias

I SEMINÁRIO DE SAÚDE AUDITIVA DO TRABALHADOR

Aconteceu no dia 29 de maio, no auditório da área I da PUC Goiás o I SEMINÁRIO DE SAÚDE AUDITIVA DO TRABALHADOR DE GOIÁS, organizado pelo CREFONO5, CERESTs Regional de Goiania e Estadual de Goiás em parceria com o Departamento de Fonoaudiologia da  PUC Goiás que contou com aproximadamente 140 participantes entre academicos e profisisonais. Durante a programação participaram da abertura a presidente do CREFONO5 Conselheira Silvia Ramos, representando também o DEoartamento de Fonoaudiologia da PUC Goiás, Dr Carlos Campos Presidente da Associação Mercosul de Saúde e Segurança no Trabalho – MERCOSSAT,  Tania  Gerente  do CEREST Estadual, Huilma Cardoso Coordenadora Vigilância em Saúde do Trabalhador: Hebe Macedo  Diretora do CEREST Regional . Durante a programação foram discutidos : Avanços e desafios na atuação dos CERESTs Estadual e Regional de Goiás  tendo como ministrantes as coordenadoras Hebe Macedo e  Huilma Cardoso ; Relato de experiência da Fiscalização em saúde do trabalhador Ministrantes: Ana Claudia Fidelis   e  Andreia Silveira , Fonoaudiólogas do CEREST Estadual de Goiás Mediadora: Juliana Ferraz ;Desafios e Perspectivas para a Vigilância da PAIR no Brasil  Ministrante: Dr. Carlos R. Campos  Presidente da Associação Mercosul de Saúde e Segurança no Trabalho – MERCOSSAT Mediadora: Silvia Ramos ; Protocolo e Notificação Compulsória de PAIR Ministrante: Edilvana Cristina  Fonoaudióloga do CEREST Regional de Goiania  Mediadora: Heine Zanluchi e Aspectos legais, éticos e a importância do laudo audiológico na saúde do trabalhador ministrante:   Mariene Umeoka Hidaka  Fonoaudióloga Professora do curso de Fonoaudiologia da PUC Campinas e Presidente da Comissão de audiologia do  CRFa 2a. Região  Mediadora: Conselheira Thelma Alcantara - Presidente da Comissão de audiologia - CRFa 5a.R. Para a presidente do CREFONO5 Conselheira Silvia Ramos foi um evento muito importante para discussão das ações na área de audiologia ocupacional, trazendo informações sobre atuação dos CERESTs , enfatizando a importancia da notificação da perda aufitiva pelos fonoaudiólogos e ainda foi possivel discutir a questão do laudo audiológico realizado na área ocupacional. Agradecimentos especiais a OPIMED pelo patrocinio do lanche e ao Conselho Regional de Fonoaudiologia da 2a. Região pela rica colaboração da conselheira Mariene Hidaka na discussão sobre aspectos legais e éticos na elaboração de laudos audiológicos. 

 

PL DA POLITICA NACIONAL DE SAÚDE VOCAL É DISCUTIDA EM AUDIÊNCIA PÚBLICA EM BRASILIA

A presidente do Conselho Regional de Fonoaudiologia representando a Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia defendeu nesta terça-feira (12) na Câmara dos Deputados o projeto de lei (PL2776/11) que institui a Política Nacional de Saúde Vocal para Professores. A proposta, debatida em audiência pública na Comissão de Educação, tem como objetivo realizar exames médicos e fonoaudiólogicos em todos os profissionais de ensino da rede pública e privada para detectar indícios de alterações vocais ou outras doenças relacionadas à voz.  O projeto também visa desenvolver programas de prevenção por meio de oficinas e palestras para orientar e habilitar os professores da importância da saúde vocal e do uso adequado da voz nas salas de aula.

Necessidade de prevenção

A presidente Silvia Ramos na reunião, explicou que, caso a política seja aprovada, os fonoaudiólogos poderão ajudar os professores “desde a promoção, fazendo palestrar, fazendo treinamento, até mesmo a reabilitação”. Salientou sua importância  ressaltando que uma pesquisa realizada em 2010 pelo Sindicato dos Professores de São Paulo, em parceria com o Centro de Estudos da Voz - CEV, questionou 3.265 a respeito dos problemas vocais, das quais 1.651 eram docentes. O resultado revelou que cerca de 60% dos professores já sofreram de alguma alteração vocal, em comparação com apenas 35% da população em geral.

Conforme o Dr Eduardo Baptistella, Presidente da Associação Brasileira de Otorrinos, a proposta é importante porque atua em três estágios: prevenção, diagnóstico e tratamento. Ele citou ainda o valor gasto quando um professor precisa ser afastado da sala de aula por problemas vocais. Segundo ele, a quantia só reforça a necessidade da prevenção. "Quando um professor é afastado, tem que ser colocado outro no lugar, então isso demanda custo. O professor afastado está recebendo e o professor que entra no lugar também vai receber. Um estudo do Sindicato dos Professores de São Paulo mostra que R$ 200 milhões por ano são gastos com absenteísmo do professor."

Qualidade comprometida

O autor do projeto, deputado Saraiva Felipe (PMDB-MG), contou que já foi professor de cursinho e sabe que, além dos danos à voz do docente, a qualidade da educação também pode ser comprometida. "Podemos pensar nos prejuízos em termos da qualidade da educação oferecida, sobretudo, para a educação básica. Além disso, tem a questão econômica, o pagamento por muitas aposentadorias precoces, já que as pessoas ficam sem condições de utilizar profissionalmente a voz."

Tramitação


A proposta aguarda relatório do deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) na Comissão de Educação. Em seguida, o texto será analisado pelas comissões de Seguridade Social e Família e de Constituição e Justiça e de Cidadania em caráter conclusivo.

Fonte:  Câmara Notícias

Sessão solene do Dia mundial da voz na Câmara dos Deputados

Em sessão solene que aconteceu no dia 12, deputados e Sistema de Conselhos alertam para os distúrbios que acometem os trabalhadores que usam a voz como instrumento de trabalho. A solenidade requerida pelos deputados Mara Gabrili, Eduardo Barbosa e Marcelo Aguiar foi marcada por apresentações musicais e por cobranças de PLs que tramitam na casa e que tem relação direta com a Fonoaudiologia. A presidente do Conselho Regional de Fonoaudiologia – CRFa 5ª Região, Silvia Ramos, lembrou que a campanha “Seja Amigo da Sua Voz”, ganhou muito apoio entre artistas, os que mais a utilizam como instrumento de trabalho. Porém, segundo ela, essa é uma questão a ser tratada como problema de saúde pública. Entre os profissionais mais atingidos por problemas vocais, Silvia Ramos lembrou o caso dos professores. Pesquisa recente apontou que 76% desses profissionais já sofreram algum problema com a voz, contra 35% da população em geral.

A presidente do CFFa, Bianca Queiroga fez uma retórica das campanhas do Dia da Voz e ressaltou que a iniciativa brasileira foi seguido por outros países de modo que há alguns anos o Dia 16 de abril tornou-se o Dia Mundial da Voz, sendo celebrado de maneira interdisciplinar por diferentes especialistas, cientistas e artistas.

Bianca também falou sobre o Projeto de Lei de autoria do Dep. Saraiva Felipe que Institui a Política Nacional de Saúde Vocal e ressaltou o alto índice de alterações vocais ou disfonias em pessoas que utilizam a voz como instrumento de trabalho.  No caso de professores, por exemplo, cerca de 60% tem ou teve alguma queixa relacionada a voz e 13% já desenvolveu alguma alteração estrutural no aparelho fonador, como os nódulos vocais, popularmente conhecidos como calos nas cordas vocais.

“É inegável que esses números alarmantes preocupam tanto pelo que representam para a saúde e qualidade de vida dos trabalhadores e trabalhadoras, quanto pelo prejuízo que causam ao trabalho. No caso de professores, podemos falar de prejuízos na qualidade da educação. Se queremos que o Brasil seja uma Pátria Educadora, precisamos assegurar a saúde vocal dos professores, e também salários dignos e boas condições de trabalho”, pontua.

Apresentações musicais

A sessão foi presidida pelo deputado Marcelo Aguiar, que se desculpou pela ausência da deputada Mara Gabrilli (PSDB SP), autora do requerimento pela realização da solenidade, que não conseguiu embarcar a tempo para Brasília. O deputado declarou que foi salvo duas vezes de cirurgias vocais em razão de tratamentos com fonoaudiológicos, e comprovou a eficácia da Fonoaudiologia ao interpretar uma canção religiosa no plenário. O deputado foi bastante aplaudido.

O deputado e cantor Sérgio Reis também marcou a sessão solene com seu depoimento e apresentação de duas músicas acompanhado por sua esposa Ângela Márcia.

 Fonte: Ascom CFFa, com informações do Jornal da Câmara

CREFONO5 PARTICIPA DAS ATIVIDADES DO DIA DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE O RUIDO

Aconteceu no último dia 29 no auditório da área I da PUC Goias, em comemoração ao dia de conscientização sobre o ruido uma mesa redonda coordenada pela Arquiteta Maria Luiza Carvalho da UFG e coordenadora da campanha em Goiania e teve como convidados os palestrantes Fonoaudióloga e professora da PUC Goiás Marilia Rabelo que explanou sobre o sistema auditivo e com o arquiteto Walter Garcia que apresentou sua experiencia sobre acústica arquitetonica. O evento contou com a platéia de 120 estudantes e profisisonais das áreas de Fonoaudiologia, Design e Arquitetura e foi promvido em parceria CREFONO5, UFG, CEREST e PUC Goiás. Em 2015, com o lema " Ruido no transito, um vilão que ninguém presta atenção", o dia internacional de conscientização sobre o ruido-INAD foi celebrado pelo oitavo ano consecutivo no Brasil. O ruido de transito se destaca como fonte de poluição sonora, causando custos altos para a sociedade e o objetivo em 2015 foi fomentar a consciência da população e de orgãos públicos sobre o problema.    

 

 

PLEITOS DA FONOAUDIOLOGIA PARA AS CONFERÊNCIAS DE SAÚDE

Considerada um dos mais importantes eventos do setor, a Conferência é uma oportunidade para os fonoaudiólogos mobilizarem-se, inserirem a profissão nas políticas de Estado e, assim, revolucionarem a saúde brasileira

Com o tema Saúde Pública de qualidade para cuidar bem das pessoas, está confirmada a realização da 15ª Conferência Nacional de Saúde. Promovida a cada quatro anos, pelo Poder Executivo ou, extraordinariamente, pelo Conselho de Saúde, o evento tem como objetivo principal avaliar a situação da saúde no país e propor diretrizes para a formulação de políticas para o setor nos âmbitos estaduais, municipais e nacional. Em 2015, as etapas municipais iniciam em abril; as estaduais em julho; e a nacional está prevista para o período de  1 a 4 de dezembro em Brasília/DF.

O Sistema de Conselhos Federal e Regionais de Fonoaudiologia convida todos os profissionais a participar da Conferência desde a fase inicial, levantando a bandeira dos temas e reivindicações da categoria. “É o momento para colocar as ações relacionadas à Fonoaudiologia e à Saúde Pública na pauta”, convoca a conselheira federal Denise Torreão. “Dessa forma, podemos contribuir, de maneira democrática e participativa, para a formulação de políticas de saúde que assegurem acesso integral e de qualidade de serviços fonoaudiológicos na saúde”, enfatiza.

Devido à amplitude das resoluções que podem ser definidas na Conferência, os fonoaudiólogos não podem perder a oportunidade de discutir, defender e disseminar o papel que exercem para a saúde da população brasileira tanto na atenção básica, quanto na média e na alta complexidade. “Vamos fazer o debate e garantir a defesa integral da saúde. Por isso, agora, precisamos disseminar para todos os colegas de profissão, alunos e professores, a importância da mobilização e a socialização de nossas reivindicações”, avalia Denise, que também representa a Fonoaudiologia no Conselho Nacional de Saúde como conselheira titular.

Pleitos da Fonoaudiologia

As etapas preparatórias serão estruturadas sob oito eixos temáticos: Direito à Saúde, Garantia de Acesso e Atenção de Qualidade; Participação Social; Valorização do Trabalho e da Educação em Saúde; Financiamento do SUS e Relação Público-Privada; Gestão do SUS e Modelos de Atenção à Saúde; Informação, Educação e Política de Comunicação do SUS; Ciência, Tecnologia e Inovação no SUS; e Reformas Democráticas e Populares do Estado. O Sistema de Conselhos de Fonoaudiologia debruçou-se sobre os eixos temáticos da 15ª Conferência Nacional de Saúde e sistematizou os pleitos que devem ser defendidos nas diferentes etapas, como explica a presidente do Conselho Federal de Fonoaudiologia, Bianca Queiroga: “Organizamos nossas reivindicações com base nos eixos temáticos, mas só teremos uma representatividade significativa se somarmos forças agora. Somente as propostas prioritárias de cada etapa estadual serão discutidas na etapa nacional, em dezembro, e comporão o Relatório Nacional Consolidado”, ressalta.

 Confira os itens sugeridos pelo CFFa para que os fonoaudiólogos que participarão das etapas municipais e estaduais possam defender e exigir a inclusão no documento final da 15ª Conferência Nacional de Saúde:

Imprima esse material e leve com você na Conferência de seu município. Participe do debate, opine, participe e defenda a Fonoaudiologia e a saúde da população!

Acesse aqui o calendário oficial das etapas que compõem a 15ª Conferência Nacional de Saúde; e aqui o Regimento da 15ª Conferência Nacional de Saúde.

Mais informações no site da Conferência: http://conselho.saude.gov.br/web_15cns/index.html

Fonte: CFFa